quinta-feira, 6 de agosto de 2009

Como um emo anda de skate?

O marco Luque mostra.


sexta-feira, 24 de julho de 2009

Teaser Trailer - Alice no País das Maravilhas (Legendado)

Teaser do filme Alice no país das Maravilhas que o Tim Burton está dirigindo. Na boa, já ansioso pra ver o filme. Primeiro por que gosto de parecer cult, e Tim Burton é deveras cult. E segundo por que o Jhonny Deep é linduuuuuuuuu eehehehehe mode viadagemoff. Sem sacanagem agora, gosto do tom lúdico que o Tim Burton consegue imprimir nos filmes que dirige e a cara de maluca da Helena Bonham Carter. É um casamento a três que parece ter dado certo.





Alguém aí conhece o Vincent?






Já postei esse Vicent umas três vezes nos blog q eu participo. Sou maluco?

quinta-feira, 23 de julho de 2009

Post atrasado - Homenagem para o dia do amigo.

Amigo é aquele que você pode dividir uma cerveja sem grilo nenhum.



quarta-feira, 22 de julho de 2009

O que voçê faz quando ninguém te vê fazendo?

Segue abaixo três videozinhos no youtube de atitudes humanas que câmeras escondidas de vigilância captam por ai. Nem tem muita coisa o que comentar não.











Sempre que vejo o icorporar do Youtube penso: Quem?

segunda-feira, 20 de julho de 2009

Vale-cultura - Quanto vale a cultura?


Hei! O governo vai lancar agora o vale-cultura. No valor de 50 mangos para o trabalhador brasileiro se deliciar com um pouco de cultura na vida cotidiana corrida e sem graça.

Eu fico feliz com essa iniciativa do governo. Na boa. Agora poderemos ser quase-mendigos-iletrados-mas-cheios-de-cultura. Todos nós, que recebemos pouco ou quase nada, poderemos ser pseudocults na santa paz de deus. Urru.

E a melhor de todas noticias, esse vale não poderá ser descontado do salário do trabalhador. Né?

Na boa. Eu fico imaginando o Seu Zé falando pra Genara: “ Eita bem, esse mês vai dá pra troca nosso vale em pinga e carne pra faze o churrasco do Gilson”.

Eu não sei. Eu penso que os políticos deveriam criar condições melhores para o trabalhador ganhar mais dinheiro e poder gastar no que quisesse, que a pessoa que trabalha pudesse se encontrar com "cultura" por direito e vontade e não por esmola. Parece muito aquela velha historia do pão e circo, ajudando manifestações institucionalizadas de cultura e esquecendo a cultura popular.

Parece-me uma tentativa tapar o sol com a peneira por que, no lugar de investir em manifestações culturais e aumentar o poder aquisitivo do brasileiro ao mesmo tempo, cria-se um vale esmola qualquer para forçar o cidadão comum a consumir uma coisa que ele, às vezes, nem se interessa por ela. Forçar o cidadão a consumir formas elitizadas de cultura.

Acho muito mais interessante um salário mais alto e o livro, o cinema, o teatro, a música mais baratos para escolher o que consumir ou não, do que receber cinqüenta reais por mês para escolher entre alguma dessas coisas.

Talvez o problema seja, também, o que é cultura ou cultural? Funk carioca é cultura? Musica clássica é cultura? Shakespeare é cultura? Paulo coelho? Que manifestações culturais serão abrangidas pelo tal vale-cultura?

No fim de tudo fica em mim somente essa sensação “ oba, vou pegar meu vale e troca por pinga, não entendo o que aquele maluco ta dizendo nos teatro mesmo.” Mais quem se importa com isso mesmo? O governo fica bem com os teatros e com a mídia. O assalariado encontra uma forma de usar o beneficio de qualquer jeito. E tudo fica bem.
Enquanto isso, nas escolas disseminamos ignorância em serie para indivíduos do futuro e as multinacionais continuam explorando aquela matéria de carne que chamam de proletário. “Nossa, isso foi tão Marxista, ui...”

sábado, 18 de julho de 2009

Doenças pós--modernas. A doença Duke Nukem.

Estamos a vivendo imersos, a cada dia mais e mais, na era digital. Como não poderia deixar de ser nossa vida está sendo transformada de maneiras que não poderia ser imaginada a alguns anos atrás, como por exemplo, o calos preto de mouse no pulso, os namoros virtuais, o sexo virtual, os flagras de fio terra no youtube a fora.

Bom, no meio disso tudo também existem as doenças virtuais, psicoses digitais, depressões orkutianas e por ai vai. Neste vídeo que segue abaixo temos o exemplos de mais uma doença que apareceu com essa era digital e que, como não poderia deixar de ser vem preocupando analista, cientistas e fabricantes de vídeo games no mundo todo.

Apresento-vos a famigerada e mortal doença do Duke Nukem.

Para ativar a legenda você clica no icone que está no lado inferior do vídeo, caso seja meio burro como eu que assiste o vídeo três vezes sem ter encontrado a legenda.


quarta-feira, 15 de julho de 2009

Improvisando.


"Se o tiro sair pela culatra vai dá merda, 02."

Cosplay da Mary Poppins


"olha mãe, eu to voando."

Smoke on the water.


Seu Zé, um exemplo a ser seguido por fumantes do mundo todo.
"morro mais num largo, nem chegou na burracha ainda..."

Crise.


Em tempos de crise até mesmo o diabo tem de arrumar um segundo emprego. Fikadika.